Arquivos

Minha Primeira Vez

(Por Cecília Ribeiro) Animada com a graduação em Jornalismo, comprometi-me a participar de dois eventos acadêmicos. Um no Sudeste do Brasil; outro no Norte. O segundo ocorreria um dia após o término do primeiro. Fui da Cidade de Vitória para a Cidade do Rio de Janeiro de ônibus. Meu próximo destino seria o Estado do…

O Homem que amava as Flores

(por Fabiana Lana) Aquela dose toda de sofrimento teve surpreendentemente o dom de fazê-la um ser melhor… Aquelas chibatadas cortantes retiraram os acessórios que atrapalhavam a visão de sua simples beleza Ela agora não usava quase nada, não falava mais quase nada, não pedia mais quase nada – apenas respirava e comia o suficiente para…

Torta Capixaba é uma união de receitas indígena e portuguesa

(Por João Zuccaratto) A Torta Capixaba é um dos pratos mais saborosos da culinária criada nos 400 quilômetros de praias do Estado do Espírito Santo. E tem tudo para ser considerada a iguaria símbolo da terra mais conhecida pela Moqueca Capixaba — sem diminuir as qualidades desta última. Afinal, moqueca é capixaba; as outras são…

Três poemas sobre o Ano Novo

por Ana Gosling Começa um pouco antes do Natal e chega ao clímax no Reveillon. É a época do encerramento, da esperança no futuro, do projeto de felicidade mais próximo. Os olhos se enchem de lágrimas à meia-noite do dia 31 de dezembro com o coração estufado pela certeza do recomeço ou ficam perdidos no equacionamento…

O Mar, substantivo feminino

por Fabiana Aquino Lana   Acordei numa dessas madrugadas de primavera, em que o mundo ainda parece dormir. Tudo era silêncio e paz, e a escuridão ainda tomava conta do céu. Estava decidida a ficar mais um tempo na cama, mas borboletas azuis faziam malabarismos dentro de minha cabeça… eram borboletas frenéticas e lindas… eram borboletas…

Carne e unha

(Por Pedro Cipolla) – Não acredito! Você outra vez? – Pois é. – Como você me achou? – Eu sempre te acho. – Mas não é possível! Será que você é o meu carma? – Tenho certeza. Eu nunca te esqueço meu amor. Eu sei que você não vive sem mim. – Você é louca.…

A Filha do Pastor Cresentil

(Por Eduardo Selga) Desconheço profundamente as mais comezinhas leis da acústica. Por esse motivo, o fenômeno que acontece na porção em que moro do bairro Itararé me soa um tanto mandingueiro, bruxaria as boas, muito embora, claro, os neurônios racionais de minha mente, sempre às turras com os outros, os do pensamento mágico, considerem a…

Fragmentos da Cristalmacia capazes de rachar materialismos

(Por João Zuccaratto) Pessoa muito querida me brindou com um cristal. Derreti pelo carinho dela. Bateou o mostruário e garimpou informações com a proprietária da loja até bamburrar aquele melhor refletindo sua visão do meu astral. É a Selenita Laranja. Um panfleto explicativo agregado à pedra é mostruário disso. Alguns, acho lapidares; outros não. Mas…

Pateta

(Por Eduardo Selga) Da primeira vez em que me deparei com ele, na travessa de acesso à minha casa, o sobressalto foi tão grande que me assustou a possibilidade de eu ter sido visivelmente indelicado. Os outros moradores da rua talvez me repreendessem à boca miúda ou até com os olhos nos meus olhos como…

Merica

(Por Eduardo Selga) Mesmo quando menino, nunca fui um verdadeiro entusiasta do futebol, daqueles dramáticos e meio patéticos quem batem boca e rompem amizades por conta de uma zombaria contrária ao meu time. No fundo, para mim não havia nenhuma importância se na rodada do campeonato no último fim de semana ele perdera ou ganhara,…