Será que eles combinam?

O ponto de vista dele:

Suas curvas e saliências me enfeitiçaram desde o primeiro momento. Logo eu, tão pé no chão, sempre tão firme no meu caminhar, tropecei na paixão. Enfeitiçado, me submeto a todas as suas vontades. Todas! Relevo até suas traições. Sim, porque não é só comigo que ela sai. Vira e mexe, está dando voltinhas por aí.

E pega geral: bonitões, estilosos, altos, baixos, ricos e até pés de chinelo. Ela quer é mais, a bandida! Aceito porque sou louco por ela. Faz de mim gato e…. Ah! O que isso importa? Sempre deixou claro que não era exclusiva de ninguém. Admiro sua honestidade. Não é como essas falsas encontradas em cada esquina.

Lembro-me do dia em que me apaixonei. Havíamos passado a noite numa festa. Muitos risos, música e bebida. No apartamento, fui abandonado já na sala, mas, a porta do quarto, entreaberta, me permitiu vê-la na cama. Jogada… Melhor: largada, completamente vulnerável.

O zíper, aberto, mostrava pouco, mas o suficiente para me deixar louco. Misteriosa, profunda, aveludada. A visão me encantou. Não consegui nem me mexer. Passei à noite ali, parado na sala, admirando-a.

Foi quando decidi: ainda a terei só para mim. Sou paciente, sei dar um passo de cada vez. Se a gente combina? Não tenho dúvidas. Fomos feitos um para o outro!

O ponto de vista dela:

Carrego o mundo dentro de mim. Por isso, preciso de espaço. Então, não gosto dos que ficam pegando no pé. Além do mais, conheço o meu potencial. Reparo como as mulheres me olham. Sem querer parecer convencida, tenho um verniz especial sobre a pele e compartimentos secretos só revelados aos iniciados. Yeah! Isso faz diferença.

Exclusividade? Fala sério! A vida é muito curta. Em qualquer esquina pode aparecer alguém e gritar: “A bolsa ou a vida!” E como isso termina? Então, não quero compromisso. Aproveito o momento e vivo intensamente. Por isso, sou tão versátil. Amanheço pronta para o trabalho, encaro uma academia no final da tarde e, sem aparentar cansaço, emendo na balada. Se pendurada em um ombro amigo ou levada pelas mãos de alguém, pouco importa.

Se a gente combina? Admito que gosto quando estamos juntos, mas, daí a ser o único vai enorme diferença. No entanto, ele é bonito e tem boa pegada. E eu? Ah! Eu combino com tudo e com todos!

O ponto de vista da dona dos dois acessórios:

É, acho que esse sapato e essa bolsa combinam, sim. Veste-se e leva ele e ela para passear.

Martha Gonzalez escreve, quinzenalmente, aos domingos

Imagem:monikblogspot.com

(Primavera 2014)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *