Ela, Deus e o Papai Noel

— Qual o seu sonho? — em um entusiasmo solto e descontraído, Lina pergunta.

— Sonho? Eu?

— Aham! Um sonho?! O que você quer ser?

— Huuummm! Éhhh…! Eu… Éhhh…!

Em silêncio, Lina procurava ouvir os pensamentos de uma criança com 10 anos de idade.

— Ahhhnnn…! Eu num tenho sonho — responde, de modo abrupto.

— Ahhhnnn…! Sonho? Algo que você deseja ser, tenha vontade de realizar, conhecer, aprender, ver, sentir… Alguma coisa que queira de verdade. Qualquer coisa! — procurava com cuidado as palavras, para evitar induções.

— Ah, num seiu, tia!

Lina permaneceu em silêncio com um olhar interrogativo em um leve sorriso no rosto.

— A gente somu criança. Sonho é pra gente grande — reflete no linguajar da rua.

Uma maneira de falar pronunciada até mesmo pela professora da escola: “Nóis vai um jeito nisso.” Ou, talvez, o estrangulamento e sufocamento da própria língua materna. O mandante, o praticante do crime? Bom, este não é o tema desta história.

— Claro que crianças podem sonhar. Como nas historinhas… — afirmou, vagamente.

— Ahhhnnn! Huuummm…

— Ah, que tal assim? E se o Papai Noel viesse te visitar, o que você diria para ele?

— O Papai Noel?

— Sim, o Noel!

— Mas, o Papai Noel num é Deus?

— Deus? Ahhhnnn… É!?

— É. Você não sabia?

— Ahhhnnn! Pois bem! Então… E se Deus aparecesse, o que você diria ou pediria pra Ele?

— Huuummm…! Eu pediria pra Deus vir aqui na Terra e me levar com Ele.

Engoliu seco. Porque, em uma conversa com uma menina linda e, aparentemente, cheia de vida, nunca esperaria uma resposta dessa.

— Éhhh…! Bom… Você quer ir morar com Deus? — repete a frase enquanto tentava digeri-la.

— Quero. Acho que lá é melhor…

Lina responderia o quê?

Lina queria dizer que, neste mundo, mesmo confuso, aquela menina tem valor; pode e deve ser ouvida. Um ser lindo, maravilhoso, com a sensibilidade e percepção de quem bastante para aprender e muito para ensinar.

A moça gostaria de dizer que acredita naquela criança, na diferença que ela faz aqui na Terra. Ser alguém pode ser duro. E Lina poderia dizer que, inúmeras vezes, ela também teve vontade de ir embora daqui. Todavia, aprender a sonhar pode ser apreender viver.

Lina queria dizer para aquela garota observar e ouvir a presença de si própria em meio ao caos. Respirar fundo. Depois de algum tempo, ela vai perceber que Deus pode ser Tudo, inclusive, ela mesma. Nós somos os senhores dos nossos destinos, fazendo a diferença quando descobrimos quem realmente somos, ainda que a descoberta seja árdua. O ter não importa tanto. Afinal, com amor próprio, tudo pode ser melhor.

Em vez disso, disse:

— Todas as noites, antes de você ir dormir, ou sempre que puder, até mesmo durante o dia, feche os olhos e converse com Deus, o Papai Noel. Ele é capaz de ouvir você. Peça para Ele te mostrar o brilho existente em você, a luz que te ilumina, porque, dentro do seu coração, existe uma velinha que mantém acesa a chama da sua vida.

— Velinha, tipo vela mesmo?

— Eu chamo de sonho, imaginação, fantasia… É uma fonte de luz e calor para manter você viva. Você não precisa vê-la, deve senti-la. É como quando coloca a mão sobre o coração e sente ele bater. Sente, sim?

Assentiu com a cabeça.

— E também sente o seu corpo quente, mas não vê!? Pois então, há um motivo para a sua presença aqui na terra. Alguém pode dizer que sua chegada foi um acidente… Procure entender como um momento único. Algo muito especial.

Estava pensativa.

— Façamos assim: deixe os porquês de lado. Outra hora, conversamos sobre isso. Assim, por hoje, ou melhor, esta noite, ao se deitar na cama, feche os olhos, respire fundo até conseguir ouvir e sentir apenas os batimentos do seu coração. Em silêncio, usando apenas a voz da sua mente, chame pelo seu Protetor. Alguns dizem “Anjo da Guarda”. Peça para Ele tomar você pela mão…

Ela ameaçava fechar os olhos, enquanto Lina buscava algo para despertar sonhos.

— Se se concentrar bem, talvez veja apenas uma luz brilhando, bem lá no fundo. Esta luz será a sua guia. Caminhe em direção à luz e imagine-se vestida com um manto, uma capa, tipo de aço, mas invisível! Somente você pode ver. Este manto reflete luz. Muita luz!

Sentada em um sofá, a menina espremia os olhos para mantê-los fechados.

— Quando estiver envolta deste brilho, você vai se sentir protegida e forte. Se adormecer, fique tranquila. Ele estará segurando a sua mão e será guiada para o caminho até a velinha do seu coração. Lá você vai encontrar alguém muito, muito especial.

E Lina continuou:

— Quando isso acontecer, prepare-se para ver, abraçar e escutar o Ser Especial que vive em você. Este Ser tem poderes mágicos assim como Deus, o Papai Noel. E, então, você descobrirá o seu verdadeiro sonho.

Dezembro de 2016

Ilustração: https://www.mensagenscomamor.com

Edsandra Carneiro escreve, quinzenalmente, às quartas-feiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *